Navegue pelo MENU e conheça os trabalhos que faço e ensino em meus cursos
MENU
 BOLSAS
 COLCHAS
 ALMOFADAS
 DIVERSOS
 COZINHA
 PUBLICAÇÕES
 DICAS
 APOSTILAS
 CURSOS
 LINKS
 FOTOS FEIRA
 CORTINAS
 MOLDE FREE
 LIVRO VISITAS
 E - MAIL
Falar da Marília é como falar da irmã que eu nunca tive. Melhor que seja assim: a diferença entre os amigos e a família é que os primeiros é a gente que escolhe.
Bonita, leal, divertida e boa ouvinte, não é que a moça ainda é prendada? Apaixonada por crianças e bichos, organizada e prendada. Jornalista, Marília trabalhou como produtora nas TVs Record, Bandeirantes e Gazeta. Foi assessora política de José Serra, Emerson Kapaz e Antonio Kandir.
Mas isso foi antes, bem antes, de ela reconhecer (e aceitar) o dom de saber manusear lãs, linhas, tesouras e tecidos com tanta maestria. Ela ri quando digo que para conseguir fazer um guardanapo caprichado como o que ela faz vou precisar nascer mais umas oito vezes. Verdade!
Marília sempre foi cativante. Amiga disponível, sabe... Mas não daquelas que ficam cobrando, exigindo retorno. Não esquece fisionomias – e tem um interesse sincero com todo mundo. Se falar com alguém uma vez, vai se lembrar sempre. E na próxima conversa pergunta se a sobrinha já nasceu, se o cachorro sarou, se a mãe gostou da viagem... Mesmo que a próxima conversa demore três meses. Agora, nessa fase de trabalhos manuais assume um dom que sempre a acompanhou. Me lembro dela tricotando blusas de lã (como não se atrapalha?) enquanto marcava entrevistas para os programas, me mostrando paninhos e paninhos, que eu – tal qual um índio silvícola – só conseguia entender que eram proporcionais e coloridos. Nem acreditava quando aquilo virava uma manta de patchwork. Foi ela quem me explicou: patch é pedaço, work é trabalho. Logo: pedaços de pano! (Puxa!) E é alinhavando esses paninhos que Marília vai crescendo e conquistando. Um dos primeiros trabalhos ela me deu há dez anos, quando meu filho mais velho nasceu. Uma manta quadrada, que ele guarda até hoje. Vários retalhos com cores e tamanhos diferentes vão formando uma grande peça, linda! Igual a Marília mesmo: tantas vocações de marilinhas que vão se juntando, se aproximando, como num mosaico e no fim mostram uma grande figura! É um grande prazer conhecer alguém assim...
Wanda Alviano
Jornalista